Diário de Bordo: Boa noite Guaramiranga. Boa noite nordeste!


O espetáculo "Interior", do Grupo Bagaceira de Teatro (CE), foi eleito por júri popular o melhor espetáculo da Mostra Nordeste dentro da programação do 23º FNT

(foto: Divulgação Grupo Bagaceira)

“Boa noite Guaramiranga. Boa noite nordeste!”

Saudava o locutor antes de cada apresentação dos sete dias do FNT – Festival Nordestino de Teatro. Realizado em Guaramiranga (CE), esta foi a 23ª edição do festival que é um dos mais conhecidos da região nordeste. A frente dos teatros e espaços cênicos sempre encontrávamos um microfone e uma caixa acústica, colocados ali minutos antes, a postos para saudar os espectadores. Era por esse mecanismo também que éramos informados dos apoiadores do festival, ficha técnica e sinopse de cada obra. Comunicação direta e calorosa.


Dentro dos espaços, ao longo das quarenta apresentações teatrais, uma outra constância: FORA TEMER. Me recordei de quando estava na 35ª Mostra Nacional de Teatro do México, em 2014, na cidade de Monterey, dias depois do massacre de quarenta e três estudantes da Escola Rural de Ayotzinapa, que foram presos pela polícia e, sob as ordens do prefeito, entregues a uma quadrilha de narcotraficantes que simplesmente sumiu com os adolescentes. Todos os espetáculos apresentados ali também bradavam por justiça. Em Guaramiranga as manifestações de FORA TEMER se davam principalmente ao final das apresentações, antes dos agradecimentos, geralmente precedidos por um “primeiramente...” a qual o público prontamente respondia e aplaudia intensamente. Outras formas de manifestação também aconteceram, no meio de um espetáculo a atriz expulsa de cena um diabo imaginário gritando “Sai, sai, FORA...” no que encara a plateia que imediatamente entende o recado e completa FORA TEMER. O mesmo grito se repetia nos debates, shows e qualquer outro encontro de artistas na pequena cidade na Serra do Baturité. Certamente esta palavra de ordem veio para ficar.


Outra manifestação cotidiana no festival foi a campanha pela reabertura do Teatro Municipal de Guaramiranga que segue fechado e sem previsão para a reabertura. “Muitos espetáculos não puderam vir porque precisam de uma caixa cênica grande e não temos isso sem o Municipal”, contou Nilde Ferreira, Diretora Geral do FNT. Há cinco anos o festival não ocorre no principal teatro da região do Maçiço de Baturité por faltar condições estruturais de uso.O Festival de Guaramiranga é formado por quatro Mostras – a Mostra Nordeste (principal), Mostra Palco Ceará, Mostra Universitária e FNT pra Crianças – e dois espetáculos

convidados, de outras regiões do país, encarregados de abrir e encerrar a maratona teatral. Outro ponto de destaque da programação são os debates que acontecem diariamente e refletem sobre os espetáculos da Mostra Nordeste que se apresentaram no dia anterior. Sempre são convidados três debatedores e neste ano tive a honra de ser um deles junto com os professores Arão Paranaguá (UFMA) e Hector Briones (UFC). Neste espaço cada grupo, cia. ou produtor conta sua história de formação e sobre a construção do espetáculo, seguidos então pelas reflexões dos debatedores e na sequência abrindo para participação do público, sempre presente em grande número.

Intervenção Urbana ordem e regresso - Performance resultado da oficina

"Corpo, Imagem e Performatividade" com Abimaelson Santos (MA) -

feito por alunas e alunos Escola Livre de Teatro do Maciço de Baturité - ELT Maciço

(Foto: Eunilo Rocha/AGUA)

Dado curioso é que anos atrás o Festival distribuía diversos prêmios aos espetáculos (melhor ator, atriz, direção, etc.) de acordo com a avaliação dos debatedores convidados. Acontece que nessa situação o espaço de debate transformava-se em uma arena de conflitos e pulsantes intervenções enfraquecendo a potencialidade das reflexões e do diálogo com o público sobre as obras. Como solução da questão atualmente cabe ao júri popular premiar o melhor espetáculo com a quantia de R$ 5.000,00. Entre os nove concorrentes de 2016 (representando seis estados nordestinos) quem levou o prêmio foi o Grupo Bagaceira, de Fortaleza (CE), com o espetáculo “Interior”.

Além da programação artística e dos debates diários, o festival acolheu várias oficinas, entre elas a que ministrei sobre a “Circulação Nacional e Internacional”, e o “Encontro dos Festivais de Artes Cênicas do Ceará – Políticas, Fomento e Sustentabilidade”, promovido pela Laboratório de Produção da Quitanda das Artes. Neste encontro, com a presença de vinte e três festivais, deu-se início a um mapeamento e construção de indicadores e fundou-se a REDE de Festivais de Artes Cênicas do Ceará. É importante destacar esse momento como ponto importante para o avanço de políticas públicas para os festivais, que valeu, inclusive, um anúncio do Secretário de Cultura do Estado, Fabiano dos Santos, para a necessidade de

uma especial atenção no que diz respeito a manutenção destes festivais.Importantíssimo também foi ponto de encontro no “Bar do Odilon”! Butecão de sinuca que durante o festivalrecebe shows de música e muita conversa boa.Lendário o Bar do Odilon potencializa a realização deste simpático e eficiente festival e nos faz ver como um evento deste caráter pode estar ligado ao seu entorno e cumprir importante papel junto a comunidade em geral e, ao mesmo tempo, ser referência artística para Fortaleza e o nordeste brasileiro. Em resumo o 23ª Festival Nordestino de Teatro de Guaramiranga foi uma expressão de potentes encontros e manifestações.

Mostra FNT para Crianças – SESC Espetáculo: "As Aventuras de João Sortudo"

Grupo Companhia Prisma de Arte

(Foto: Eunilo Rocha/AGUA)

Participaram da Mostra Nordeste, e foram avaliados por júri popular, os seguintes espetáculos:

Interior Bagaceira de Teatro [Ceará] Caetana Duas Companhias [Pernambuco]

Todo Camburão Tem Um Pouco de Navio Negreiro

Nóis de Teatro [Ceará]

Senhora dos Restos Cia Dicuri Produções [Sergipe]

Exercício Sobre Medeia Coletivo Piauhy Estúdio das Artes [Piauí]

Nada Como Quando Começou

No Barraco da Constância Tem! [Ceará]


Música no FNT - Grupo Os Alfazemas (Foto: Enilo Rocha/AGUA)


Para Uma Avenca Partindo Teatro do Redentor [Maranhão]

A Casa Blitz Intervenções[Ceará]

O Segredo da Arca de Trancoso Vilavox [Bahia]