Marcelo Bones

É fundador, diretor e diretor artístico do Grupo Teatro Andante.
Formado em Sociologia pela Universidade Federal de Minas Gerais.
É Professor de Interpretação Curso Profissionalizante de Ator da Fundação Clóvis Salgado.

Lecionou também no Teatro Universitário da UFMG e na Oficina - PUC de Teatro, tendo tamém participado da concepção e implantação do projeto Galpão Cine Horto - Oficinão, o qual, na sua edição 2005, é o diretor geral. Ministrou oficinas de interpretação teatral por todo Brasil e também na Argentina e, Colômbia.

Tem participação ativa na vida teatral de Belo Horizonte, foi presidente e secretário do Movimento de Teatro de Grupo de Minas Gerais, associado do SATED - MG e Amparc - MG e coordenador de oficinas do primeiro FIT e em 2004 foi diretor Geral da 7ª Edição do Festival Internacional de Teatro Palco e Rua - FIT BH.

Foi consultor da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Social de BH, do Projeto Circo de Todo Mundo, da Fundação Municipal de Cultura de Belo Horizonte e diretor do Parque Municipal.

Tem artigos publicados em livros e jornais sobre cultura, arte e projetos sociais que utilizam a arte, tendo participado em seminários sobre este tema no Brasil e exterior.  

Ministrou vários cursos de técnicas circenses, a arte do clown e de interpretação teatral em diversos festivais e encontros de teatro, no Brasil e no exterior.

Com seus espetáculos ou como debatedor, palestrista, mediador, professor, ou observador participou de vários festivais, entre eles: Festival Internacional de Canela (RS), Festival de Teatro de Avignon (França), Festival de Teatro de Rua de Aurrilac (França), Festival de Teatro do Gesto de Perigueux (França), IIª Mostra Brasileira de Teatro de Grupo - Ribeirão Preto (Brasil), I Festival de Cultura da Rua - Bogotá (Colômbia), IIIª Mostra Brasileira de Teatro de Grupo - São Paulo (SP), FILO - Festival Internacional de Teatro de Londrina, Porto Alegre em Cena - Festival Internacional de Teatro, Anjos do Picadeiro - Encontro Internacional de Palhaços - Encontro Internacional de Teatro de Grupo (Argentina), Festivais Internacionais de Teatro em Buenos Aires, Santiago do Chile, Bogotá e Moscou.

Seus mais destacados espetáculos são:

- Os Cem Mil Derradeiros Instantes, estreado em julho de 2006, com os formandos do Cefar, Palácio das Artes.

- O Último Inverno, Grupo Boca de Baco de Londrina, estreado em maio de 2006.

- Estado de Sítio, com o Oficinão do Galpão, estreado em dezembro de 2005.

 

- A Bicicleta Branca, com o Grupo ArCênico, estreado em junho de 2004.

 

- Vereda da Salvação, com formandos do Palácio das Artes, estreado em 2003.

 

- À Sombra do Sucesso,Companhia Burlantins, estreado em 2002

 

- Olympia, do Grupo Teatro Andante, solo de Ângela Mourão, estreado em 2001.

 

- O Homem da Cabeça de Papelão, com o Grupo Trama, estreado em 2001.

 

- Na Lata, espetáculo com moradores de rua de Belo Horizonte, 2000.

 

- Musiclown, com o Grupo Teatro Andante, estreado em 1998.

 

- O Beijo no Asfalto, a montagem clownesca de Nelson Rodrigues para a rua, com a Cia Reviu a Volta, estreado em 1997.

 

- As Mulatas de Chico Rodrigues, com o Grupo Deu Palla, estreado em 1996.


Marcelo Bones foi diretor geral do FIT – Festival Internacional de Teatro de Belo Horizonte, edição 2004, que trouxe ao Brasil o Projeto Peter Brook e apresentou a trilogia do Teatro da Vertigem.